Quem Somos

22020_10204555560040188_1459008098249110509_nNasci e tenho vivido no Porto. Desde muito cedo – aos 18 anos –, iniciei o meu percurso profissional. Tenho tido o privilégio de viver experiências muito diversas, em contextos muito diferentes, e desde cedo compreendi que procurava algo mais. Ávida de saber e curiosa por tudo quanto diga respeito ao Ser Humano, fiz a Licenciatura em Psicologia, na Universidade do Porto.

Depois disso, fiz a Pós-Graduação em Sexologia Clínica (em Coimbra), o Master em Sexologia e Psicoterapia (em Valencia) e concluí em 2012 o Doutoramento em Psicologia Social (Universidade de Cádiz), na área da Gestão do Conhecimento.

Mais recentemente, tenho tido oportunidade de desenvolver novas competências: a hipnoterapia clínica, o coaching, a programação neurolinguística (PNL), o reiki e a prática de Mindfulness têm sido algumas das áreas que muito têm contribuído para o meu Ser!

Profissionalmente, desde 1992 que sou Psicóloga Clínica e trabalho com crianças, jovens e adultos, quer individualmente, quer em grupos.

E como sei que é determinante o conhecimento partilhado e adquirido em grupo, tenho desenhado e implementado workshops e cursos de formação no âmbito do autoconhecimento, liderança pessoal, motivação … ou, em três palavras, no âmbito do aprender a ser!

Colaboro, quer como formadora, quer como consultora, em várias empresas públicas e privadas. Sou, também, docente no ensino superior.

Em 2013, criei – com a colega Fernanda Leitão – o PEES – Projeto de Educação de Emoções e Sentimentos (http://projeto-de-educacao-emocional.webnode.pt/), que tem vindo a ser desenvolvido em contextos escolares no Porto com grande êxito e reconhecimento, tanto pelas crianças que integram o projeto, quanto pelos seus Pais.

Atualmente, encontra-me:

Rua Formosa, nº 447 – 4º Dtº – Porto ou psicologia.www@gmail.com ou +351 912 530 064

Amor próprio e dependências psicológicas

Algo que, diariamente, é útil: alimentar a auto-estima!

Aprender a gostar de si mesmo é algo que nunca nos é ensinado!

Pelo contrário, em crianças ouvimos vezes sem conta “não sabes o que dizes”, “ não sabes como se faz, deixa!”, “não és capaz de …” e por aí fora.

Por outro lado, são – sem intenção e sem autoconsciência – estimuladas as dependências (de maneiras muito diversas!).  Abandoná-las não é tarefa simples, já que as mútuas dependências têm papéis específicos nas nossas vidas. Acabamos é por nos apercebermos de que algo não está bem, acabamos por nos sentir encurralados, desconfortáveis…

Alcançar a realização pessoal, aprendendo a gostar de si e transformando as emoções autofrustrantes, é o objetivo deste workshop. Dito de outra forma, trata-se de trabalhar o amor-próprio e a independência psicológica, possibilitando viver e ser responsável pelas escolhas que fazemos.

Quando 9 de Maio das 14h30 às 18h30

Contribuição €25

Inscrições através do formulário online disponível em http://centrobudistadoporto.org/?th_events=amor-proprio-e-dependencias-psicologicas

Conteúdo:

Como tudo começa…

A(s) necessidade(s) de aprovação

Ninho psicológico e dependência(s) na família

Transformação: ser o seu melhor amigo!

 

Formadora: Conceição Viterbo

 

 

 

Promover o Equilíbrio Emocional

Todos, diariamente, nos confrontamos com situações adversas e, muitas vezes, inesperadas. Nesses momentos, ficamos confusos, perdidos, instalam-se os pensamentos negativos, surgem as dúvidas, os medos, o sofrimento.
Gerir as emoções de forma equilibrada significa ter clareza nas diferentes situações, optando por não ficar preso a pensamentos, sentimentos ou comportamentos que em nada contribuem para o bem-estar pessoal.
E como fazer para obter essa gestão emocional? Quais os aspetos a privilegiar para não ser apanhado pela teia desenfreada dos sentimentos?
Neste workshop, Equilíbrio Emocional, proponho-me trabalhar consigo no desenvolvimento do seu Ser, centrando-nos em três vertentes: a resiliência, a aceitação e o foco.

O percurso escolhido passará então pelos seguintes pontos:
• Resiliência: obstáculos e princípios
• Promover a resiliência: como?
• Aceitação e as emoções
• Promover a auto-aceitação
• Foco e abertura a novas perspetivas
A metodologia proposta é vivencial, centrada na partilha e na experimentação de situações simuladas.

 

Quando: 25 de Abril das 14h30 às 18h30

Contribuição €25

Inscrições através do formulário online (http://centrobudistadoporto.org/?th_events=equilibrio-emocional)

Como lidar com a apatia e a falta de vontade?

A experiência que todos os dias vivo na minha prática clínica – e, também, na vida pessoal – é a de encontrar pessoas que sentem uma imensa apatia, uma generalizada falta de vontade e a caraterística de procrastinar.

E foi esta experiência que me levou a criar este workshop (que, num curto espaço de tempo, vai para a 2ª edição) e a partilhar ferramentas, simples, que podem ser usadas no dia a dia, promovendo a motivação e o bem estar.

Invista em si!

Enthusiasm

Não adiar a vida ou como lidar com a apatia e a falta de vontade

Algumas pessoas “perderam a chama” – perderam o entusiasmo, a garra… a alegria. E contudo, essa centelha é essencial para uma vida mais feliz e realizada. Neste workshop vamos aprender a lidar com a apatia e a falta de vontade – e deixar de adiar a vida.

Conteúdo:

Diagnóstico individual: afinal o que se passa?

O que tem a ver a autoestima com a apatia?

Tenho um caminho pessoal definido?

A técnica ACG – como e quando a usar!

Data: 18 de Outubro, das 14h30 às 18h30

Contribuição: €25

Para se inscrever, preencha o formulário online. (http://centrobudistadoporto.org/?th_events=reavivar-a-chama)

Formadora

Conceição Viterbo Psicóloga Clínica, Life Coach e formadora, trabalha com crianças, jovens e adultos, quer individualmente, quer em grupos.

Desenvolve cursos de formação na área do comportamento e do desenvolvimento pessoal e colabora como formadora e consultora em várias empresas públicas e privadas. É, também, docente no ensino superior.

Sermos mais conscientes para melhor optarmos

 

descobertaConhecermos os nossos padrões de pensamento e de comportamento e, mais ainda, compreendermos os motivos pelos quais, hoje, esses mecanismos ainda se mantêm, abre-nos a possibilidade de escolha do que queremos manter e do que pretendemos mudar.

O eneagrama é um sistema constituído por nove tipos de personalidade, que permite a identificação dos fatores potenciadores e limitadores do desenvolvimento pessoal e profissional – ou seja, permite-nos o conhecimento das crenças e dos padrões de comportamento que, ao longo da vida, desenvolvemos.

Deste modo e a partir deste conhecimento, ficamos aptos a melhorar a relação que estabelecemos connosco e, em consequência, a interação que desenvolvemos com os outros.

E é com estes objetivos em mente que promovemos o workshop Eneagrama e autoconhecimento. Veja mais informações em:

https://www.facebook.com/events/506437856148668/

E participe, contribuindo para o seu autoconhecimento!

 

 

Gratidão: dá-se e recebe-se!

Receber este mail deixou-me profundamente sensibilizada e satisfeita! É bom receber este feedback de alguém que não conheço! Fiz um processo psicoterapêutico com uma amiga da pessoa que escreve o mail. Transcrevo, omitindo apenas os nomes e pequenos trechos.

Dear Doctor,

let me introduce myself: I am L, a guy of 34 years of the province of Milan, a friend of S., E.’s sister, and also a good friend of E.

 I heard from our mutual friend that these days you would have encountered and I have decided to write a letter, perhaps a bit unusual! Unusual because I don’t know you and you don’t know me; I told you my name but I don’t know yours; I’ve heard so much about you but probably we will never meet … and then why I decided to write you a letter,today, thousands of miles away?

I am writing because I’m used to recognize the qualities of clever people, because I respect expertise of a professional and first of all because I greatly admire good people.

(…) and I don’t think many people would write a letter of thanks because he would be ashamed or afraid of being misunderstood: I think I’m a different person from the media and I had no doubts in my sending you this token of esteem.

There were several months, or perhaps years, I have not heard E., when one evening in January, on Skype, we meet by chance and begin to talk.

E. told me about how being in your study, you did understand what were the things that really matter to her well-being, to focus on the pursuit of happiness, not to think about the opinions of others, to let go, to continue to paint and so on. Some people we meet have the power to make us better people or worse: apparently you were able to make E. a very happy person and more satisfied with herself, more serene, with a clearer mind.

E. has confessed me that she had never felt so good as in this period, although occasionally a few moments of anxiety, adding that much of the credit went especially to you: to me this is enough to ideally shake your hands, embrace you strongly and tell you THANK YOU for how you managed to flourish that beautiful flower that is our beloved E.

Best regards and thanks again!

YOU’RE THE MOURINHO PSYCOLOGIST!

Conhecer-se para se renovar

im

Curso de autoconhecimento com base na técnica do Eneagrama

 

O curso

É um convite a olhar para dentro de si e tomar consciência das suas ações e reações e, a partir daí, escolher o que quer ser e fazer. Tal consciência permite a compreensão das atitudes e dos comportamentos não apenas do próprio mas também dos outros.

Este caminho de autodescoberta e autocompreensão é realizado com base numa poderosa ferramenta de autoconhecimento, o eneagrama, sistema que define nove tipos de personalidade e que possibilita a identificação dos limites e das potencialidades de desenvolvimento pessoal e profissional.

O curso será orientado de forma reflexiva e participativa, recorrendo-se a metodologias de exposição participativa e de prática consciente, bem como a metodologias e técnicas ativas.

 

Os conteúdos

1ª sessão: quem sou eu?

2ª sessão: tipos de personalidade – construção psicológica e características

3ª sessão: tipos de personalidade: motivações básicas / tendências; crenças básicas

4ª sessão: importância da compreensão de si mesmo; leis da inteligência

5º sessão: instintos e centros de inteligência

6ª sessão: a relação entre os diferentes tipos de personalidade

7ª e 8ª sessões: a mudança.

 

Datas: às 4ªs. feiras – Início 7 de Maio (7, 14, 21 e 28/maio; 4, 11, 18 e 25/junho), das 18h30 às 21h00, no Porto

 

Preço total para inscrições (com pagamento de depósito) até 16 de Abril: €200; depois dessa data: €240

 

Inscrições: use por favor o formulário 

 

Para mais informações, contacte:

psicologia.www@gmail.com ou  228 321 098 / 912 530 064

 

Formadoras:

  • Conceição Viterbo, Doutorada em Psicologia Social, Licenciada em Psicologia, Pós-Graduada em Sexologia e Psicoterapia. Docente e formadora nas áreas do comportamento humano, em várias entidades públicas e privadas.
  • Eugénia Gonçalves, Licenciada em Filosofia, Mestre em Intervenção em Dificuldades de Aprendizagem e com formação avançada em Promoção da Saúde Mental em Contexto Escolar. Frequência de cursos e ações relacionados com o tema a abordar.

 

 

Da inconsciência para a consciência

O conhecimento que possuímos de nós mesmos é o que permite fazer a diferença, quer na relação que temos com os outros, quer na relação que mantemos connosco.

Já Socrates, o filósofo, dizia conhece-te a ti próprio! De facto, apenas a reflexão e a análise acerca dos nossos comportamentos, atitudes, pensamentos e crenças é que nos permite crescermos e transformarmo-nos naquilo que ambicionamos Ser.

Sabemos hoje, a partir da investigação que tem ocorrido ao nível da neurociência, que, um dos fatores que condiciona e molda todas as esferas da nossa vida, é o pensamento.

Todos os dias, na minha prática clínica, encontro pessoas que não se apercebem nem um pouco do que lhes vai perpassando pela mente. Sobretudo se são pessoas tendencialmente ansiosas, a mente é um lugar absolutamente desconhecido!

Uma das formas de potenciar o autoconhecimento e, consequentemente, de assumir uma escolhas – ao invés de reações e de todas as consequências que daí podem advir -, é passar a ter consciência do que pensamos. É como desenvolver um observador interno, que consciencializa os pensamentos que vamos tecendo. E as surpresas que se encontram!

Se quiser começar a promover esta consciência, inicie um registo diário de situações agradáveis e desagradáveis (pelo menos, uma de cada), bem como dos respetivos pensamentos e sentimentos.

É natural que, no início,  não tenha coisa alguma para registar … Persista!

E bom crescimento pessoal!

Mude!

imagesDado o elevado número de interessados , vamos abrir um novo curso “Autoconhecimento: a chave da mudança!”. Será no dia 15 de Fevereiro, entre as 14h00 e as 18h00. Há algumas vagas! Para se inscrever contacte: 

ana.h.lourenco@gmail.com

A chave para a modificação dos padrões de comportamento está no conhecimento que possui de si mesmo: só tendo consciência de como se relaciona consigo mesmo e com os outros, é que pode mudar comportamentos e atitudes!

Numa abordagem integradora e inovadora, propomos-lhe que parta à (re)descoberta de si, através do mundo da Psicologia e do Yôga. E encontre novas formas de se intra e interrelacionar com a Ana Lourenço (monitora de Yôga) e a Conceição Viterbo (Psicóloga Clínica).

Veja mais informação em:

http://conceicaoviterbo.webnode.pt/novidades2/workshop-autoconhecimento%3a-a-chave-da-mudan%C3%A7a/

%d bloggers like this: